6 inovações na Construção Civil para 2019

Já passamos da metade de 2018, é hora de começar a se preparar para o próximo ano. Manter-se a par das inovações na Construção Civil não só ajuda a impedir que a sua empresa fique para trás, mas também ajuda a prepará-lo para o futuro.

Com a expectativa de que o setor volte a crescer em 2018, aumentando a competitividade na indústria da construção, é essencial que as empresas da área se mantenham atualizadas para garantir sua fatia do mercado.

Pensando nisso, abaixo apresentamos as 6 inovações na Construção Civil que você verá tomar conta do cenário nos próximos anos! Acompanhe conosco e descubra quais são elas:

1. Mais impressão 3D e uso de drones

Drones na construção civil
Os drones estão cada vez mais presentes nas construções.

A tecnologia é sempre o futuro, mas exatamente de que tipo de tecnologia estamos falando na indústria da construção? Os candidatos mais prováveis ​​são impressão 3D e drones.

Apenas alguns anos atrás, a impressão 3D era uma tecnologia nascente usada para criar modelos plásticos básicos. Hoje suas aplicações incluem a construção de casas de concreto na China.

É natural que os gerentes de construção explorem cada vez mais essa opção, já que a concorrência acirrada e a redução das margens de lucro forçam as inovações na construção civil a desenvolverem novos métodos.

No outro extremo, apenas alguns anos atrás os drones eram considerados pouco mais que brinquedos.

Agora, eles estão sendo usados ​​para pesquisar áreas remotas em projetos de construção, entre outras coisas. Os drones permitem que os gestores de obras pesquisem de maneira mais eficiente os locais que são difíceis de examinar a pé, devido ao seu tamanho ou acessibilidade.

2. Aumento da popularidade de estruturas pré-fabricadas

Pré-fabricados
Pré-Fabricados continuam sendo uma tendência para a Construção Civil.

Já falamos sobre os benefícios da construção de casas modulares. Em 2019, espere a tendência de usar estruturas modulares e pré-fabricadas crescer e trazer ainda mais benefícios.

A pré-fabricação percorreu um longo caminho nos últimos anos e não se limita mais a projetos simples. Os principais arquitetos estão se envolvendo no negócio de pré-fabricação e construção modular.

Da mesma forma que o uso da impressão 3D, as estruturas pré-fabricadas e modulares podem ajudar os gerentes de construção a enfrentar margens de lucro decrescentes e buscar formas inovadoras de reduzir os custos de construção (e aumentar os lucros).

3. Maior ênfase em projetos verdes

Projeto arquitetônico ecológico.
Projetos ecológicos serão uma realidade cada vez mais acessível.

O verde é o novo preto no mundo da construção. Esta tendência já vem ganhando espaço há alguns anos, mas espera-se que continue a crescer em 2019.

A sustentabilidade ambiental tornou-se um tema quente de discussão nos últimos anos e espera-se que continue assim. Em 2019, veremos o foco nos benefícios ecológicos dos projetos de construção aumentar, bem como uma maior ênfase nos benefícios financeiros. Espera-se ver modelos de negócios cada vez mais verdes!

4. A IoT chegará para revolucionar o trabalho no canteiro

internet das coisas construção civil.
A internet das coisas promete revolucionar ainda mais o setor.

A Internet das Coisas, também conhecida como IoT, Internet of Things, agrupa diversos aspectos da tecnologia aplicada à construção, incluindo o rastreamento de equipamentos e funcionários, tecnologias vestíveis e outras informações coletadas no local de trabalho.

Como a busca para reduzir os custos e melhorar a eficiência continua, muitos estão se voltando para as opções de IoT para melhorar as operações no canteiro de obras.

As tecnologias vestíveis, por exemplo, podem rastrear os trabalhadores no campo e garantir que eles estejam protegidos contra acidentes. Outro exemplo é o uso de sensores nos equipamentos para monitorar se as máquinas precisam ser reparadas.

A tendência é combinar a IoT com o Business Intelligence — uso de dados para melhora na tomada de decisão. Assim, a coleta de dados será feita em uma central onde gestores poderão acompanhar tudo em tempo real e tomar decisões inteligentes com base nas informações.

5. Melhorias na segurança

Profissional usando simulador de realidade virtual.
Simuladores de realidade virtual serão usados para treinar os profissionais.

A construção continua sendo uma indústria extremamente perigosa para os trabalhadores.

Felizmente, as inovações na Construção Civil estão enfrentando esse desafio de frente. Uma série de conceitos inovadores está dando aos gerentes de construção maneiras novas e interessantes de mitigar os riscos de segurança no local de trabalho.

Os simuladores de realidade virtual podem ajudar os trabalhadores a obter o treinamento completo de que precisam antes de usar equipamentos pesados ​​e perigosos.

Os drones podem ser usados ​​para tornar os locais de construção mais seguros, realizando inspeções e mantendo os trabalhadores fora das áreas de difícil acesso.

Existem opções de software com foco em segurança, como apps dedicados a realizar inspeções de locais e auditorias de segurança, que fazem a detecção de possíveis quedas e envia alertas para contatos de emergência.

6. Ainda mais uso da tecnologia BIM

tecnologia BIM.
Tecnologia BIM ficará cada vez mais sofisticada.

Ainda estamos adicionando novas opções e funcionalidades ao diretório de softwares de gerenciamento de construção, e não há sinais de desaceleração nesse movimento. Uma dessas é aumento do uso da tecnologia BIM.

Em 2019, mais empresas de software produzirão suas próprias opções de gerenciamento de construção, buscando atender às crescentes necessidades dos gestores que desejam organizar melhor seus projetos por meio dessa tecnologia.

Conte-nos suas previsões

Você é quem está nas trincheiras da construção diariamente. Nós queremos ouvir o que você tem a dizer! Quais inovações na Construção Civil você notou durante o ano passado e o que você espera em 2019? Deixe-nos saber nos comentários abaixo.

Tudo o que você precisa saber sobre Gerenciamento de Obras

O gerenciamento de obras de construção requer as habilidades e conhecimentos de um gerente de projetos tradicional, mas aplicado ao setor de construção.

Como um projeto de construção está sempre mudando, o gestor de construção ideal deve possuir experiência e know-how para lidar com diversas equipes e atender a diversos objetivos.

Mas para quem é novo no gerenciamento de obras, este artigo orientará sobre os conceitos básicos essenciais, bem como os princípios básicos de orçamento, finanças, organização e programação. Acompanhe conosco e aprenda!

equipe planejando uma obra
A comunicação com a equipe é essencial para um bom gerenciamento de obras.

O que é o gerenciamento de obras?

De acordo com o Project Management Institute, o gerenciamento de projetos é:

“a arte de dirigir e coordenar recursos humanos e materiais ao longo da vida de um projeto usando modernas técnicas de gerenciamento para alcançar objetivos predeterminados de escopo, custo, tempo, qualidade e participação”.

O gerenciamento de obras é exatamente a mesma coisa, aplicada à gestão na Construção Civil. O gestor nesse contexto usa o mesmo modelo para atingir aos mesmos objetivos.

Em seu nível mais fundamental, o gerenciamento de obras lida com o planejamento, coordenação e execução de um projeto de construção, seja agrícola, residencial, comercial, institucional, industrial, civil pesado ou ambiental.

O gerenciamento de obras geralmente inclui tarefas complicadas que podem mudar muito, dependendo do trabalho em questão, e requer fortes habilidades de comunicação, profundo conhecimento do processo de construção e capacidade de resolver problemas.

Este é um campo complexo, que requer conhecimento em muitas áreas diferentes, como finanças, mediação, lei, negócios e muito mais.

Qual o papel do gestor de obras?

Gestor de obra tendo imagem geral do planejamento
A gestão de obra é uma função que requer muita responsabilidade.

 

Os gestores de obras assumem a responsabilidade de manter o projeto em movimento de acordo com o planejado.

O objetivo é gerenciar o projeto para que ele termine dentro do cronograma e dentro do orçamento, enquanto cumpre os códigos de construção, planos e especificações.

Um gestor de obras também pode ser encarregado de definir os parâmetros, finanças e calendário, contratação de mão de obra, desenvolver uma estratégia para a resolução de conflitos em potencial e mais.

Podemos separar as responsabilidades desse gestor entre sete categorias, sendo:

  1. Planejamento da gestão de projetos;
  2. Gestão de custos;
  3. Gerenciamento de tempo;
  4. Gestão da qualidade;
  5. Administração de contratos;
  6. Gestão da segurança;
  7. Gestão dos recursos humanos.

Como acontece o processo de gestão de obras?

engenheiro planejando a obra
Apesar das especifidades, o gerenciamento de obras passa, inevitavelmente, por fases padrões.

Embora os estágios de um projeto de construção sejam diferentes daqueles do gerenciamento tradicional de projetos, eles seguem um padrão similar.

Todos os gerentes de projetos de construção devem se familiarizar com as cinco fases do gerenciamento de obras, conforme os princípios desenvolvidos pelo Project Management Institute. São eles abaixo:

1. Início

Antes do início do projeto, um gestor de obras deve desenvolver e avaliar o caso de negócios para determinar se o projeto é viável e se vale a pena realizá-lo.

As partes interessadas podem ser solicitadas a fazer a devida diligência e a realizar testes de viabilidade, se necessário.

Quando todas as partes concordarem em prosseguir com o projeto, o gerente de projeto cria um documento de iniciação, que inclui as necessidades de negócios e o business case.

2. Planejamento

Em seguida, a equipe do projeto desenvolve um roteiro para todos os envolvidos. Isso inclui o plano de gerenciamento do projeto (PMP), um documento formal e aprovado criado pelo gestor de obras para orientar a execução e o controle, bem como definir linhas de base para o escopo, custo e cronograma.

Também é possível ver estes outros documentos na fase de planejamento:

  • Declaração de escopo e documentação: define as necessidades de negócios, os benefícios, os objetivos, as entregas e os principais marcos do projeto;
  • Estrutura analítica do projeto: este documento divide o escopo do projeto em partes gerenciáveis ​​e visuais;
  • Plano de comunicação: descreve todos os aspectos da comunicação, desde metas e objetivos, funções, ferramentas e métodos. O plano de comunicação cria uma estrutura comum que todos podem trabalhar para evitar mal-entendidos ou conflitos;
  • Plano de gerenciamento de riscos: isso ajuda os gerentes de projeto a identificar os riscos de antemão, incluindo estimativas de tempo e custo que podem não ser atendidas, possíveis cortes orçamentários, mudanças de requisitos e falta de recursos comprometidos.
gerente de obra inspecionando o canteiro
É imprescindível para o gerenciamento da obra, o monitoramento da execução.

3. Execução

Agora o trabalho começa. Normalmente, todas as partes realizam uma reunião inicial e, em seguida, a equipe do projeto inicia o trabalho de designar recursos, implementar planos de gerenciamento, configurar sistemas de rastreamento, concluir tarefas, atualizar o cronograma e, se necessário, modificar o plano inicial.

4. Desempenho e monitoramento

A fase de monitoramento geralmente acontece simultaneamente com a fase de execução. Essa fase é necessária para medir o progresso e o desempenho e garantir que os itens estejam alinhados com o plano geral de gerenciamento de obras.

5. Encerramento

Esta fase final marca a conclusão do projeto. Para marcar a conclusão, os gerentes de projeto podem realizar uma reunião post mortem para discutir quais partes do projeto cumpriram e não cumpriram os objetivos.

Em seguida, a equipe do projeto cria uma lista de tarefas persistentes, executa um orçamento final e emite um relatório final do gerenciamento de obras.

Quais as perguntas que todos os gestores devem fazer?

questões para gerenciamento de obras
O gestor da obra deve ter a resposta para cada um destes questionamentos

Ser um gestor de obras é provavelmente um dos trabalhos mais difíceis do mercado. Existem inúmeros detalhes que devem ser levados em consideração para que um projeto seja executado sem problemas.

É por isso que há certas perguntas que os gerentes de projetos de construção precisam fazer para manter seu projeto sob controle.

Em suma, abaixo estão as perguntas que que você deve estar pronto para perguntar:

1. Sobre o escopo do projeto

  • O resumo do projeto identifica o escopo e fornece todas as informações necessárias em relação aos documentos do projeto necessários (por exemplo, documentos de licitação, plano mestre, relatórios de custo do trabalho?
  • O projeto foi revisado e atualizado em estreita colaboração com todos os diferentes agentes envolvidos?
  • Você estabeleceu um processo de requisitos de coleta efetivo (por exemplo, prazos, orçamento etc.)?
  • As limitações e restrições do projeto são identificadas e analisadas com sucesso?
  • Foram elaborados padrões detalhados e compreensíveis e um relatório de qualidade?
  • Existe uma estratégia de gerenciamento de risco de projeto eficaz?

2. Sobre o processo de aquisição

  • Que modelo de pagamento (por exemplo, preço global, preço máximo garantido, custo mais taxa, preço unitário) foi escolhido?
  • O processo de seleção de consultores (por exemplo, consultores de engenharia) foi concluído?
  • Todos os contratos com consultores de clientes são executados corretamente?
  • Todos os pagamentos a consultores são cuidadosamente gerenciados?
  • Você recebeu todos os requisitos necessários de material e serviço pelo cliente e pelas partes interessadas do projeto? Esses requisitos estão incluídos no cronograma do projeto?
  • Todos os relatórios do projeto (por exemplo, relatório de viabilidade) e desenhos (como desenhos de esboço) foram finalizados, verificados e aprovados?
  • A documentação do contrato do projeto foi revisada e assinada?
  • Os requisitos de visita ao local definidos pelos consultores foram atendidos com sucesso?
  • Os empreiteiros estão devidamente informados sobre esses requisitos?
engenheiros se questionando
Para a boa execução da obra, todas as informações devem estar muito claras.

3. Sobre o custo do projeto

  • Um TCO (custo total de propriedade) foi executado e gerenciado?
  • As partes interessadas do projeto foram informadas sobre as questões de custo?
  • As ordens de pagamento do contrato serão executadas no prazo?
  • Existe um plano alternativo funcional para proteger o orçamento do projeto caso haja algum problema?

4. Sobre o cronograma

  • O programa do projeto foi estabelecido e analisado em detalhes pela equipe do projeto?
  • O progresso do projeto está sendo monitorado de perto e os atrasos são relatados no prazo?
  • Existe um plano alternativo funcional para manter o projeto em andamento caso surjam atrasos de tarefas?

5. Sobre o processo de comunicação

  • Todos os membros da equipe têm uma boa compreensão de seu papel durante o projeto?
  • As reuniões de progresso são realizadas periodicamente? As atas da reunião são acessíveis a toda a equipe?
  • Existe uma hierarquia bem estabelecida e coerente ao longo de todo o processo de construção?
  • Os relatórios de progresso são gerados e distribuídos regularmente?
  • Existe uma boa colaboração com as autoridades locais (por exemplo, o projeto está progredindo de acordo com os regulamentos locais de construção)?

Este foi um pequeno guia de gerenciamento de obras. Claro que, na prática, toda a atividade é muito mais complexa e você deve continuar sempre aprendendo!

Por isso, assine nossa newsletter e receba conteúdos como esse gratuitamente no seu e-mail!

Qual a diferença entre pré-fabricados e pré-moldados?

Partes de um novo processo construtivo, pré-fabricados e pré-moldados podem até parecer sinônimos, você sabe qual a diferença entre eles?

Os pré-fabricados e os pré-moldados surgiram devido à busca por aumentar a eficiência na construção civil.

Contudo, apesar de similares, esses processos possuem suas diferenças e saber quais são elas é essencial para escolher o melhor para seus projetos.

Continue lendo e descubra quais são as diferenças entre pré-fabricados e pré-moldados, e quais as vantagens de cada um deles!

O que é a construção modular?

Blocos sendo encaixados
Elementos modulados “se encaixam” na construção das obras.

 

Os pré-moldados e pré-fabricados são parte de um novo processo construtivo conhecido como construção modular.

Essa é a prática de montar componentes de uma estrutura em uma fábrica ou outro local de fabricação fora do canteiro, e transportar conjuntos completos ou subconjuntos para o local de construção onde a estrutura será localizada.

O termo é usado para distinguir este processo da prática de construção mais convencional de transportar os materiais básicos (matéria-prima) para o canteiro de obras, onde toda a montagem é realizada.

 

Mas qual a vantagem da construção modular?

Trabalhadores em obra
A fabricação modula traz diversos benefícios para os trabalhadores do canteiro de obras.

 

A construção modular é uma evolução da construção tradicional que traz os seguintes benefícios:

  • Gera menos resíduos: o processo modular gera menos resíduos, cria menos perturbações no local e permite uma construção mais enxuta;
  • É mais rápido: a construção modular ocorre simultaneamente com o trabalho no local, permitindo que os projetos sejam concluídos na metade do tempo da construção tradicional;
  • Mais inteligente: a construção modular se baseia na tecnologia BIM para visualização das peças, avaliação do desempenho e identificação de medidas que aumentem a eficiência e economia;
  • Oferece mais segurança: o ambiente de construção modular reduz os riscos de acidentes e responsabilidades relacionadas aos trabalhadores.

 

E onde entram os pré-moldados e os pré-fabricados?

Trabalhadores em canteiro de obras organizado.
Construções modulares são uma solução para a organização do canteiro de obras.

 

Agora que falamos da construção modular, vamos falar das peças que tornam possível que esse processo ocorra.

O pré-moldado é um produto de construção (principalmente concreto) produzido pela moldagem desse produto em um molde ou “fôrma” reutilizável.

O produto é criado em um ambiente controlado, transportado para o canteiro de obras e montado no lugar.

Já os pré-fabricados são exatamente a mesma coisa — contudo, a diferença entre os dois está no processo de fabricação das peças.

 

Quais as diferenças entre as duas peças?

Elemento pré-fabricado suspenso por um guindaste
Elementos pré-moldados e pré-fabricados aceleram o tempo da obra.

 

A ABNT 9.062/2006 é quem define a diferença principal entre pré-fabricados e pré-moldados.

Segundo a norma, os elementos pré-moldados não exigem um controle de qualidade rigoroso, dispensando a existência de laboratório ou instalações semelhantes no fabricante.

Já o chamado pré-fabricado, embora também seja moldado previamente, fora do destino final de uso, é executado de forma industrial, em instalações permanentes de uma empresa especializada nesse processo.

O pré-fabricado tem rigor técnico e controle de qualidade muito mais apurados do que o pré-moldado, o que inclui também controle de catalogação, como registro de data, tipo de concreto e aço e a assinatura dos responsáveis.

Ou seja, o pré-fabricado oferece maiores garantias de qualidade, segurança e durabilidade em comparação ao pré-moldado.

 

Por que escolher o pré-fabricado?

Celeiro Americano feito com pré-fabricados em Brusque SC
Celeiro Americano feito com pré-fabricados em Brusque SC

 

Os pré-moldados, apesar de também trazerem todas as vantagens da construção modular, não possuem as vantagens e a força do concreto pré-fabricado, especialmente quando se olha para grandes projetos.

Como a qualidade exigida em norma deve ser comprovada por meio de ensaios de avaliação e inspeções, os cuidados com o produto pré-fabricado são mais rigorosos, o que confere mais qualidade a este.  

Além disso, como o pré-fabricado é mais facilmente controlado, a durabilidade é, em geral, muito melhor do que o concreto pré-moldado.

E você, quer começar a aproveitar desses benefícios? Entre em contato conosco e conheça nossas estruturas pré-fabricadas!

Patologias na Construção Civil: 5 áreas que precisam de atenção

Para um projeto de sucesso, é preciso saber gerenciar os problemas na Construção Civil. Conheça áreas comuns onde eles podem ocorrer e saiba como evitá-los-los!

O papel de qualquer empresa de construção é lidar com um trabalho do início ao fim, o que permite que o cliente assuma o controle e aumente seus negócios.

O problema é que erros podem ocorrer antes ou durante a construção, o que pode acabar custando caro para ambos os lados.

Como então evitar problemas na construção civil? Um bom começo é conhecer os erros mais comuns cometidos na gestão de obras para que você não os repita em seus projetos.

E para te ajudar, abaixo listamos as 5 principais áreas que podem gerar problemas na construção civil! Acompanhe conosco:

1. Definição do projeto

Planejamento do projeto da obra.
A importância de ter um projeto muito bem planejado antes da execução da obra.

Toda obra de sucesso começa como um projeto de sucesso. Com um projeto bem desenhado é possível identificar todas as implicações da construção antes mesmo dela começar, prevendo quais etapas deverá seguir e se haverá ou não a necessidade do emprego de esforços extras.

É claro que, como tudo na vida, em uma obra também estamos sujeitos a imprevistos, mas um planejamento bem feito permite que estejamos preparados para evitar atrasos e gastos não esperados.

Não investir tempo no desenvolvimento do projeto e em repassar os detalhes com toda a equipe envolvida na construção é um dos problemas na Construção Civil.

Hierarquia de funções dentro do planejamento.
Muito importante ter todos os responsáveis muito bem definidos.

Ao fazer isso, será possível economizar na compra de materiais, uma vez que você terá um planejamento logístico eficiente, otimizando a gestão dos recursos necessários para cada etapa da obra.

2. Prazos e orçamentos

Os atrasos e estouros de orçamentos são o verdadeiro pesadelo em qualquer gestão de obras. Mas por que eles acontecem?

Como falamos, a falta de investimento em criar um bom escopo de projeto é uma das causas, mas não a única.

Outra grande responsável por atrasos e problemas com o orçamento é a logística de materiais. Isso porque o fluxo de trabalho na obra é linear. Uma etapa depende da conclusão da etapa anterior e assim em diante.

Miniaturas representando o processo de construção civil.
Prazos e orçamentos estourados são os principais inimigos da construção civil.

Cada etapa possui seus materiais e recursos necessários. Caso um deles não esteja disponível no momento e no lugar certo, toda a cadeia produtiva pode ser comprometida. E como já diria o ditado, “tempo é dinheiro”.

Uma solução para esse problema pode ser o pré-fabricado, processo em que as “peças” da construção são fabricadas fora do canteiro de obras e levadas prontas para esse, somente para sua montagem. Além de economizar tempo, também reduz a necessidade de materiais e logística interna.

3. Organização do canteiro

A organização no canteiro de obras é fundamental para garantir que não haja desperdícios de mão de obra ou de materiais, falhas na execução, e para que o trabalho ocorra da melhor maneira, conforme o planejado.

Representação de grandes construções.
A organização do canteiro é fundamental.

Um canteiro bem organizado ajuda a evitar dores de cabeça e assegurar que a qualidade final do projeto não seja prejudicada. O grande problema é que muitos gestores dão pouca ou nenhuma importância a esse aspecto.

Cada local possui uma funcionalidade específica para a obra e isso deve ser observado na hora de montar a planta e determinar a posição de cada um no canteiro.

4. Gestão da mão de obra e comunicação

Falta de comunicação.
A falta de comunicação é um fator que complica cada vez mais o desenvolvimento das obras.

A falta de comunicação ou má comunicação pode ser a morte de um projeto. Os gerentes de projeto precisam ter atualizações sobre o status e o feedback de quem está em campo e vise-versa.

Para que um empreendimento tenha sucesso, é preciso que todos os sistemas e pessoas envolvidas estejam integrados. Para isso, ter um bom canal de comunicação, tanto com os trabalhadores em campo, tanto com os clientes da obra, pode ser o diferencial para garantir satisfação com o resultado final.

5. Uso de tecnologias

A tecnologia transformou a indústria da construção nos últimos anos, e quem não conseguir acompanhar será deixado para trás. Isso se tornou especialmente verdadeiro à medida que a concorrência aumenta tanto para atrair trabalhadores quanto para competir por projetos.

A tecnologia de construção necessária inclui software baseado em nuvem, colaboração integrada e gerenciamento de projetos móveis.

 

Tecnologias podem solucionar as patologias da construção civil.
Tecnologia a serviço da construção civil.

As empresas devem ser estratégicas ao implementar novas tecnologias para não perturbar os funcionários veteranos que estão estabelecidos na maneira tradicional de fazer negócios. É preciso implementar novas soluções de forma gradual e constante para colher seus benefícios com o máximo de aceitação possível.

O uso da tecnologia BIM, varredura a laser e realidade virtual também se tornarão práticas necessárias para solucionar problemas na Construção Civil.

O BIM está tornando mais acessível comercialmente e, apesar do investimento inicial, economiza dinheiro da empresa a longo prazo, simplificando os processos. Ele já está sendo apresentado aos estudantes no ensino superior e espera-se que se torne mais prevalente nos próximos anos.

E você, já enfrentou algum desses problemas na Construção Civil? Conhece algum outro que não mencionamos? Comente abaixo e compartilhe conosco e com nossos demais leitores!