A História do Pré-Fabricado no Mundo

15.06.2018

A origem e a trajetória do pré-fabricado no mundo.

O que vem a sua cabeça quando você pensa em pré-fabricado? Casas sendo montadas em semanas? Grandes placas de concreto em linhas de produção? Nenhuma dessas imagens mentais está incorreta, mas o pré-fabricado, desde a sua origem, abrange muito mais do que aquilo que conhecemos hoje.

No artigo de hoje, vamos falar um pouco sobre a história do pré-fabricado, das primeiras técnicas de pré-construção de habitação aos pré-fabricados advindos da industrialização. Vamos também observar algumas novas tecnologias, responsáveis por uma nova fase de sofisticação no setor de pré-fabricados.

Primórdios

Para entendermos a origem da arquitetura móvel, devemos ir aos primórdios da humanidade. Os primeiros grupos sociais humanas, anteriores ao início da agricultura, eram nômades. Logo, suas moradias eram construídas de forma que fossem rapidamente montadas e desmontadas, já não sabiam quanto tempo o local seria propício para sua vivência.

Primeiras habitações nômades
Primeiras habitações nômades

 

No decorrer da história das civilizações humanas, várias foram as construções arquitetônicas que se utilizaram de elementos pré-construídos, como é o exemplo do imponente Parthenon, erguido no auge da cultura grega clássica.

Parthenon, na Grécia
Parthenon, na Grécia

Várias outras construções utilizaram-se do mesmo princípio, em especial no início do século XIX. E foi justamente neste mesmo século, que aconteceram as  revoluções responsáveis pelo conceito moderno de pré-fabricação.

Revoluções Industriais

O processo desenvolvimento daquilo que chamamos de pré-fabricado se deu em paralelos às duas primeira revoluções industriais, através da evolução do maquinário industrial.

"Tempos Modernos" um clássico que aborda as revoluções industriais.
“Tempos Modernos” um clássico que aborda as revoluções industriais.

 

Com o advento de máquinas capazes de reproduzir séries de ciclos cada vez mais complexos, os pré-fabricados foram ficando cada vez mais sofisticados, o que aumentou exponencialmente a porcentagem de elementos constitutivos de uma grande obra que poderiam ser pré-concebidos em fábrica.

Mas a maior explosão de popularização do pré-fabricado como um recurso da construção civil moderna se dá na Europa e é resultado de uma das maiores tragédias da humanidade.

Guerras Mundiais

Com o fim da Segunda Guerra Mundial, a Europa encontrava-se em ruínas. O continente inteiro precisava de um projeto rápido de reconstrução. Acontece então a primeira onda de industrialização da construção civil. Grandes cidades precisavam ser reerguidas em larga escala: escolas, hospitais, prédios públicos, residenciais.

Destroços da II Guerra Mundial
Destroços da II Guerra Mundial

 

Porém, os pré-fabricadas desse período eram produzidos de maneira negligente dada a ausência de avaliações prévias e controles de qualidade e também advinham de um único fornecedor, o que ficou conhecido como ciclo fechado de produção.

Os resultados dessa primeira experiência foram uma rigidez e uniformidade arquitetônica, que resultou em paisagens cinzas e monótonas e uma série de demolições em massa, que criou um intenso sentimento de rejeição aos pré-fabricados por parte da população – e uma profunda revisão nos conceitos de utilização da técnica nas construções

Cai o ciclo fechado, entra em cena o ciclo aberto

A partir dos anos 80, o pré-fabricado volta a ascender na construção civil europeia. Porém, agora os elementos não advém mais de um único fornecedor: com o ciclo aberto, várias empresas se especializam em determinados elementos, que se unem no canteiro de obras.

Mas com essa ascensão do ciclo aberto, nasce uma nova discussão: compatibilidade. Afinal, se várias empresas vão fornecer elementos para uma mesma obra, esses elementos precisam se encaixar uns nos outros. A solução foi a padronização dos pré-fabricados para construção civil.

Novas tecnologias

Com as recentes revoluções tecnológicas, a indústria passa a entender que não só os componentes pré-fabricados devem ser produzidos em um ciclo aberto, mas todo o processo de construção deve se adequar às diversas tipologias arquitetônicas.

Nasce então o chamado ciclo flexibilizado unindo características do ciclo fechado com do ciclo aberto, a produção pode então ir além da fábrica, trazendo a possibilidade de produção de componentes dentro do canteiro com alto grau de controle e organização.

Tecnologia BIM
Tecnologia BIM

 

Desde então, as tecnologias de pré-fabricados evoluem em velocidades cada vez maiores, tornando o pré-fabricado uma opção comprovadamente mais econômica, segura, sustentável e rápida. Com os processos mais sofisticados de BIM, por exemplo, a previsibilidade de fatores como tempo, custo e segurança chegam a um nível que beira o 100%.

Esse foi um pequeno apanhado histórico da popularização do pré-fabricado na construção civil mundial, nas próximas publicações, traremos um pouco da história do pré-fabricado no Brasil, que também vem ganhando cada vez mais destaque e vem se mostrando um grande protagonista na retomada do crescimento da indústria de construção civil brasileira.

Gostou deste artigo? Deixe o seu comentário.

Fechar Menu