Ética na Construção Civil, como podemos fazer a nossa parte.

31.10.2018

A ética é um assunto discutido em todas as áreas do mercado, mas tem ganhado atenção especial na Construção Civil, especialmente depois da revelação de diversos escândalos de corrupção envolvendo grandes empreiteiras.

Lamentavelmente, existem muitas empresas do ramo que são antiéticas, mas, igualmente, há muitos clientes que também se envolvem em práticas ilegais no mercado. Mas quais são essas práticas e por que a ética na construção civil é importante? Ficou interessado? Continue lendo e descubra conosco!

Por que a ética na construção civil é importante?

A indústria da construção civil geralmente sofre com uma má reputação. Isto não se limita apenas ao Brasil. No Reino Unido, na Austrália, na África do Sul existem pesquisas que foram feitas sobre práticas antiéticas no setor.

A relação entre ética e negócios é intrinsecamente entrelaçada. As empresas que exibem e promovem fortes códigos corporativos de ética são mais prósperas a longo prazo porque demonstram um compromisso com uma expectativa de comportamento moral sólido. E, portanto, é conveniente que a indústria leve a questão da ética a sério.

A indústria da construção fornece uma série de maneiras de lidar com questões antiéticas, como um código de conduta publicado em 1992 pela CBIC, Câmara Brasileira da Indústria da Construção.

Ética na Construção
Ética é um valor primordial em qualquer segmento.

 

Um projeto de Construção Civil é um acordo entre duas ou mais partes. Ser ético define o tom da relação entre elas. Assim que uma das partes participa de práticas antiéticas, vemos as relações falharem, com resultados negativos no projeto.

Mas quais são as práticas consideradas como antiéticas e o que sua empresa pode fazer para garantir ética na construção civil?

Quais comportamentos podem ser vistos como antiéticos?

Podemos destacar como comportamentos vistos como antiéticos na indústria e que você deve evitar no seu ambiente:

1. Não garantir o seu projeto é seguro

Isso inclui garantir que nem seus funcionários nem outras pessoas serão feridas. Além disso, dar ao cliente um projeto de baixa qualidade ou defeituoso também é antiético.

Frequentemente os contratados escondem intencionalmente erros e trabalhos de má qualidade. Em alguns casos, esses defeitos resultam em prédios em colapso, que podem levar a vítimas fatais.

Os empreiteiros assinaram um contrato que os vincula à entrega de requisitos e especificações de qualidade específicos. Entregar menos é, em essência, uma forma de roubo.

2. Omitir itens deliberadamente

Fornecer produtos que não estejam em conformidade com as especificações do projeto é antiético. Alguns empreiteiros tentam economizar dinheiro comprando materiais abaixo do padrão.

Existem até casos relatados de empreiteiros que não instalam todo o reforço em estruturas de concreto, às vezes até removendo aço de reforço após o trabalho ter sido inspecionado pelo cliente.

3. Oferecer más condições de trabalho

Oferecer condições de trabalho que proporcionem segurança, higiene, saúde, proteção, bem como salário e estímulo profissional compatíveis à produtividade é dever da contratado com seus funcionários. Não o fazer é considerado como uma prática antiética.

4. Manipulação de licitações

Empreiteiros que “manipulam” ou fixam preços nas licitações também são antiéticos. Normalmente, os clientes convidam um número de contratados a precificar seu projeto, com a expectativa de que o processo de licitação seja competitivo e que os contratados apresentem seu preço mais barato possível.

Algumas vezes, empreiteiros “organizam” esses processos de licitação. Isso pode ser feito de várias maneiras, incluindo todos os preços que o projeto adiciona em uma taxa pré-acordada, que é uma taxa que o contratante vencedor pagará a todos os outros contratados que precificaram o projeto.

Não deixe de conferir os nossos Materiais Educativos!

Materiais Educativos da Pré-Fabricando

 

5. Clientes que manipulam processo de compras

Quando um número de empreiteiros tem preços competitivos no projeto, o cliente diz ao seu contratante preferido que preço eles devem fornecer para vencer os outros contratados.

Empreiteiros que submeteram o preço mais baixo perdem seu tempo, já que o cliente fraudou o processo de licitação para ajustar a proposta do seu contratante favorecido. Por fim, os contratados não enviam os preços para esses clientes, que acabarão pagando mais por seus projetos no futuro.

6. Práticas ambientais ruins

Tanto clientes como contratados são culpados de despejar resíduos perigosos no lixo normal ou pelo uso de materiais não sustentáveis. Alguns empreiteiros despejam resíduos de construção em terrenos baldios ou em parques.

Petróleo e produtos químicos perigosos são conscientemente despejados no chão ou em drenos de águas pluviais. Empreiteiros que realizam práticas ambientais ilegais provavelmente se envolvem em outras práticas antiéticas.

7. Roubo e suborno de qualquer tipo

Não é preciso falar que pagar qualquer tipo de propina para ser favorecido em processos de licitação é ilegal. Além de manchar a imagem da empresa, os responsáveis podem acabar condenados criminalmente.

Além disso, as práticas de funcionários dentro da empresa também devem ser monitoradas. Colaboradores que não trabalham em todas as horas que reivindicam e que fazem o uso não autorizado de propriedade da empresa são antiéticos.

Agora que você já sabe quais práticas são antiéticas e devem ser evitadas nos seus projetos, aproveite e veja nosso material com tudo que você precisa saber sobre gerenciamento de obras!

 

Gostou deste artigo? Deixe o seu comentário.

Fechar Menu