Fundação profunda e fundação superficial, entenda as diferenças!

A fundação é uma das partes mais importantes de uma construção. Ela é definida como a parte da estrutura que transfere toda a carga, bem como seu próprio peso sobre uma grande área de solo, de tal forma que a carga não exceda a capacidade de sustentação final do solo e sua ocupação.

A fundação também é o que garante que a estrutura total permaneça dentro de um limite tolerável.

Sem uma boa fundação, os esforços (cargas) não serão transferidos ao solo de maneira correta, deixando a estrutura exposta a rupturas ou deformações durante sua construção ou mesmo depois de estar concluída.

Mais quais são os principais tipos de fundação na construção civil e como saber qual o melhor para cada projeto? Continue lendo e descubra conosco!

estacas pré-fabricadas
Estacas pré-fabricadas.

Os principais tipos de fundação de uma obra

Existem dois tipos de fundação principais na construção civil: as fundações superficiais e fundações profundas.

Apesar de os nomes já indicarem como é o funcionamento de cada uma delas, elas se subdividem em diferentes tipos, sendo bom conhecer um pouco mais sobre seus mecanismos.

Abaixo, falamos sobre os tipos de fundação para que você tenha uma noção das indicações de uso!

1. Fundação superficial

Na fundação superficial, geralmente, a profundidade na qual a fundação é colocada é menor que a sua largura, isto é, a razão entre a profundidade da fundação e a sua largura é menor que a da unidade.

Esse tipo de fundação espalha a carga da estrutura no solo lateralmente. A profundidade máxima da fundação superficial é normalmente de três metros (daí seu nome).

Do ponto de vista do design, as fundações superficiais são classificadas da seguinte forma:

  • Sapatas: usam o concreto armado para dimensionar pelas armaduras. Podem ser corridas (com a carga distribuída linearmente) ou associadas (com vários pilares);
  • Bloco de fundação: absorve toda a carga e a distribui sem a necessidade da armadura.
  • Radier: se assemelha a uma placa maciça e ocupa toda a área a ser construída, de modo a receber a carga inteiramente e a distribuir igualmente pelo terreno.
  • Vigas: tipos de fundação que têm os centros alinhados, fazendo a distribuição linear da carga.

2. Fundação profunda

Na fundação profunda, a profundidade na qual a fundação é colocada é maior que sua largura. A proporção entre a profundidade e a largura da fundação é geralmente maior que 4 a 5 m. Ao contrário das fundações superficiais, as fundações profundas distribuem a carga da superestrutura no solo verticalmente, em vez de lateralmente.

É por isso que elas são comumente usadas em projetos mais altos, que sofrem mais com os esforços de vento, como prédios ou obras com cargas muito grandes.

Entre as fundações profundas podemos destacar:

  • Estacas: fundação executada por maquinário e usada para transferir cargas pesadas da estrutura para um estrato de rocha dura muito abaixo do nível do solo. Podem atingir grandes comprimentos com pequenas seções transversais e serem feitas com diferentes materiais tais como madeira, aço, concreto pré-moldado.
  • Caixões: esse elemento é concretado na superfície da obra e sua instalação é feita por escavação interna, com a opção de uso de ar comprimido. A base dos caixões pode ou não ser alargada;
  • Tubulões: há descida do operário na etapa final desse tipo de fundação. Se trata de um elemento cilíndrico que pode ou não ter a base alargada. Os materiais de construção dessa fundação incluem o concreto ou aço.
construção em solo com fundação.
A fundação é um elemento-chave para a garantir a sustentação e vida útil de uma construção.

A importância do concreto nas fundações

Fica clara a importância do concreto em todos os tipos de fundações. Por ser o insumo da construção civil mais consumido do mundo, é comum vê-lo como protagonista nas fundações profundas e, também, em várias frentes de inovação dentro da construção civil.

Contudo, a construção tradicional de concreto não consegue resistir às vantagens e à força do concreto pré-moldado, especialmente quando pensamos em grandes projetos.

O concreto pré-moldado, ou pré-fabricado, é especificamente projetado e construído para ter uma relação de amplitude / profundidade significativamente alta, o que permite suportar melhor as cargas, reduzindo a necessidade de colunas e suportes adicionais dentro da estrutura interna do edifício.

Seu peso mais leve também pode reduzir o tamanho do material estrutural necessário. No entanto, a força do concreto pré-fabricado não é sacrificada por sua construção leve, o que significa que ele permanecerá seguro quando instalado corretamente.

Todas essas economias de peso combinadas com alta resistência significam que os edifícios podem usar concreto pré-moldado para alcançar alturas de até 80 andares.

Por fim, vale repetir que para escolher o melhor tipo de fundação para sua obra, é preciso realizar uma sondagem inicial do solo e verificar as possibilidades que ele apresenta.

E você, já utiliza o concreto pré-fabricado nas suas fundações? Comente abaixo e compartilhe conosco suas experiências!

Construção sustentável: Por que o pré-fabricado é a melhor solução?

No mundo de hoje, onde a mudança climática e a redução das emissões de carbono fazem parte do foco dos nossos governos, a sustentabilidade e a construção sustentável são a cada dia uma maior exigência.

Ao mesmo tempo, no entanto, muitos projetos de construção (residenciais, comerciais ou industriais) ainda são construídos utilizando métodos tradicionais.

Embora esses tipos de projetos sejam certamente capazes de ser sustentáveis, o pré-fabricado oferece uma abordagem muito mais ecológica.

E para te mostrar por que isso é verdade, abaixo explicamos como a construção pré-fabricada pode trazer mais sustentabilidade à sua obra!

obra pré-fabricada construção sustentável
Pré-Fabricado traz soluções para uma construção sustentável.

Como o pré-fabricado viabiliza a construção sustentável?

A construção pré-fabricada foi projetada para oferecer uma opção mais econômica e rápida de construir, que também é mais sustentável e eficiente energeticamente.

A eficiência energética não se refere apenas ao funcionamento de um edifício, mas também ao uso de recursos materiais em comparação com a construção de edifícios tradicionais.

Não é segredo que os métodos tradicionais de construção são grandes contribuintes do consumo de energia e da geração de resíduos sólidos que, na maioria das vezes, não são reciclados.

Por outro lado, a construção pré-fabricada resolve todos esses problemas. Como os prédios modulares são criados fora do local — ou seja, fora do canteiro —,  eles podem reduzir o desperdício em até 90%, de acordo com um estudo realizado pela organização britânica Waste & Resources Action Program.

Isso ocorre porque a construção pré-fabricada possui um ambiente de fabricação controlado que permite a alocação precisa de recursos. Em outras palavras, é um método mais inteligente, mais ecológico e mais rápido de construir. Mas quais são os reais benefícios? Falaremos disso a seguir.

Quais os benefícios do pré-fabricado para a construção sustentável?

O pré-fabricado traz três principais benefícios para tornar a construção sustentável, sendo:

1. A construção pré-fabricada minimiza a perturbação do local

Com a construção pré-fabricada, até 90% da construção pode ocorrer longe do local do futuro prédio.

Este fato sozinho reduz significativamente o impacto negativo que a construção de um edifício pode ter no meio ambiente.

Basta pensar: a quantidade de pessoas que visitam o canteiro durante a duração do projeto é reduzida.

Com menos pessoas indo e voltando do local transportando equipamentos e suprimentos durante semanas, o canteiro recebe menos distúrbios do que em uma construção tradicional.

2. A construção modular promove a reciclagem e gera menos resíduos

Já falamos isso, mas vale explicar: como grande parte da construção pré-fabricada ocorre em um ambiente controlado, há muito menos desperdício.

Em um canteiro de obras convencional, os materiais são constantemente transportados por grandes caminhões ou veículos de construção. Esses caminhões exigem grandes quantidades de combustível, o que significa mais poluição.

Riscos adicionais em um local de construção tradicional incluem roubo ou danos à propriedade. Em um ambiente controlado para a construção pré-fabricada, os materiais são mais seguros e podem ser reciclados e reutilizados.

3. Construções eficientes energeticamente

Os edifícios construídos com materiais pré-fabricados são produzidos em massa e seguem especificações padrões que possibilitam que sejam construídos rapidamente. E a redução do tempo de construção resulta em uso eficaz de energia e recursos.

Além disso, as construções pré-fabricadas podem facilmente se adaptar a projetos sustentáveis, como é o caso do Max Center, em Porto Alegre, que usou 500 de peças de concreto pré-fabricado em conjunto com 500 placas de energia solar para gerar mais de 80% da energia que será consumida pelas lojas do local.

Esforços crescentes estão sendo feitos para diminuir os impactos ecológicos em nosso planeta e o pré-fabricado tornou-se uma alternativa popular para a construção sustentável.

E você, gostou do nosso post? Quer continuar recebendo dicas como essa? Assine nossa newsletter gratuitamente!